04:00:00
0

O case de sucesso de Home Office da DP6, mostra bem a preocupação que uma empresa deve ter com os profissionais da Geração Y, e o peso que o Home Office tem quando o assunto é retenção de talentos.

Desde que a DP6 foi criada, é dado ao colaborador a oportunidade de trabalhar feliz e com equilíbrio entre sua vida pessoal e profissional através do Home Office. Eles acreditam que quando o profissional é capaz de resolver suas questões pessoais, eles evitam dispersão e fica mais producente.

Por mais que a empresa tenha sido sempre muito flexiva a ponto de permitir aos colaboradores trabalharem Home Office quando eles quiserem, ela incentiva a interação pessoal no escritório, em especial quando estão trabalhando em planejamentos, ou tem reuniões para alinhamento de equipe.

Na DP6, sempre que o colaborador não estiver no escritório é necessário que o gerente saiba com antecedência.

Para iniciar esse programa, a empresa investiu em laptops, smartphones e programas de *Time-tracking para garantir que os colaboradores estão realmente gastando seu tempo em casa com atividades do trabalho e evitando também que tenham que pagar horas extras indevidamente, protegendo assim a empresa, o cliente e o próprio colaborador.
*Time-tracking são sistemas que monitoram o que está ocorrendo no laptop do colaborador, e em dado caso, o sistema até proibi que o colaborador siga trabalhando depois do horário.

Outra característica interessante da DP6, é que todos seus dados são tratados nas “nuvens”, para que nada se perda em caso de o colaborador ter um problema em casa.

Um dos maiores desafios que a DP6 tem é lidar com a maturidade dos Home Officers para lidar com os problemas pessoais. Por tratar-se de um publico mais jovem(geração Y), são esses sistemas de time-tracking que dão o suporte necessário.

Ainda que hajam sistemas como esses, não há como controlar as diferentes variáveis que serão apresentadas no dia a dia do Home Officer, mas com a experiência que eles têm adquirido ao longo dos anos, eles estão aprendendo a incentivar Home Office para alguns profissionais e tratar de não encorajar a outros, dado suas características pessoais.

Fontes:
Livro Trabalho Portátil, página 19 e 20 "Masoquismo Generoso". Por Marina Sell Brik e André Brik
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário